Image and video hosting by TinyPic

1.484 multas são aplicadas por dia nas rodovias no Ceará


O descumprimento às normas que definem a velocidade permitida nas rodovias cearenses ocasionou 178.109 infrações só este ano, de janeiro a abril, o correspondente à média de 1.484 ocorrências por dia. No período, as estradas federais (BRs) apresentaram um cenário melhor do que o mesmo período do ano passado, alcançando uma redução de 22% no número de veículos autuados por excesso de velocidade. Maioria, as rodovias estaduais (CEs) também conseguiram uma redução, mas que não superou a marca de 1%.
 Os dados, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE), consideram registros de radares fixos e móveis. Em todas as estradas monitoradas, os maiores índices de transgressões foram protocolados nos meses que tiveram feriados prolongados, como março e abril. Embora, nestas datas, ações de fiscalização tenham sido aplicadas com o intuito de reduzir as consequências da alta velocidade, a postura indevida dos motoristas persiste e continua a gerar acidentes.

Desrespeito
Fixados em pontos estratégicos das rodovias, alguns radares já são conhecidos por motoristas veteranos. Assim, reduzir a velocidade próximo a um deles é o suficiente para não ser flagrado. Adquiridos pela PRF no início do ano passado, novos radares móveis têm surpreendido condutores que tentam driblar a fiscalização. Foram 29.994 flagrantes de janeiro a abril deste ano, mais do que o triplo registrado no ano passado - 7.724 ocorrências.

Fiscalização
De acordo com Emiliana Araújo, arquiteta do Detran, os órgãos fiscalizadores agem nos eixos de prevenção e de advertência. “Estamos sempre em contato com a PRF. Aconteceu um problema, a gente está em cima”, garantiu. Ações específicas, segundo ela, são aplicadas regularmente em datas como Carnaval e Semana Santa.

A doutora e pesquisadora em mobilidade humana, Gislene de Macêdo, alerta para a diferença entre medidas educativas e coercitivas. Segundo ela, as educativas são aquelas que permitem que o motorista, por si só, opte pela melhor conduta no trânsito. “A gente sequer aprendeu a fazer escolhas éticas. As pessoas que têm zelo são consideradas bobas”, argumenta. E reflete sobre o comportamento: “estamos habituados a pensar que precisamos chegar o mais cedo nos lugares”.
Share on Google Plus

About Levitas Newss