Image and video hosting by TinyPic

Quando a web causa atritos, é sinal de que relacionamento não vai bem

Para muitos casais, estar em um relacionamento envolve, além das demandas tradicionais da convivência a dois, cuidados virtuais, como recorrer ao bom senso nas atualizações de status e de fotos na internet. São raros aqueles que não têm perfil cadastrado em ao menos uma rede social. Se nunca foi fácil lidar com as crises de um relacionamento, imagine quando o parceiro ou a parceira é bastante ativo na rede mundial de computadores. Um estudo publicado recentemente na revista Cyberpsychology, Behavior and Social Networking comparou os efeitos provocados pelo Facebook e pelo Snapchat e concluiu que o segundo causa mais ciúme entre os usuários do que o primeiro. Isso porque tem sido usado para flertar, enquanto o Facebook, para manter contato com os amigos. O estudo afirma, porém, que ambos são responsáveis por brigas e ciúme entre os casais.

Prova disso são os universitários Érica Araujo, 21, e Bryan Douglas, 22, namorados há seis anos. Ao longo do relacionamento, os dois brigaram por ciúme, principalmente depois de espiadas no Facebook. Agora, garantem, aprenderam a lidar com a “ameaça virtual”. Segundo Érica, alguns dos conflitos foram resultado de mal-entendidos. “Essas conversas nas redes sociais são muito fáceis de ser mal-interpretadas, o outro, quando vai ler, leva para um lado errado e isso facilita a discussão”, diz

Bryan acrescenta que é importante ter privacidade e que espionar o perfil do parceiro é procurar razões para desentendimentos. “Quem procura acha, e muitas vezes acha errado. Curtir a foto de uma amiga já é motivo de briga.” Os dois acreditam que as redes sociais mais atrapalham do que ajudam, porque os casais não mantêm a calma e agem por impulso. Érica afirma que o mais importante é evitar a primeira reação e não tentar mudar o parceiro. “É mais fácil se mudar para entender o outro do que ficar discutindo.”

Doutorando em psicologia da Universidade de Brasília, Fabrício Guimarães avalia que as redes sociais não são as verdadeiras culpadas por brigas de ciúme, mas funcionam como gatilho para que os desentendimentos aconteçam. “Facebook não é causa de briga, é consequência de um relacionamento que já não está legal”, ressalta. Segundo o psicólogo, os sites de relacionamento podem potencializar sentimentos que perturbam pessoas controladoras e inseguras. Há, inclusive, o risco de o problema crescer de tal forma que culmine em violência física e psicológica. “Geralmente, a pessoa pensa que faz isso por amor, mas a base do ciúme não é o amor. O que causa não é rede social nem o amor, mas a insegurança e a vontade de controlar o parceiro, geralmente embasadas no machismo.”
Share on Google Plus

About Levitas Newss