Image and video hosting by TinyPic

BISPO DA IURD CRITICA PASTORES QUE PREGAM CONTRA GAYS

O conhecido programa “Fala que eu te escuto”, exibido nas madrugadas da Rede Record, seguidamente aborda assuntos polêmicos. Nesta sexta-feira (5), sob o comando do bispo Márcio Carotti, o assunto debatido era: “Se seu filho assumisse que era gay, o que você faria?”.

Como de costume, chamou um convidado para debater e apresentou vídeos de pessoas entrevistadas aleatoriamente nas ruas. Alguns depoimentos falavam em aceitar tranquilamente a situação. Contudo, a maior parte do público pareceu discordar.

Um motorista de São Paulo, por exemplo, alegou que não aceitaria um filho gay. Suas palavras soaram como uma ameaça. “Ele vai aprender a ser homem debaixo da porrada. Ou aprende a ser homem ou ele morre”, afirmou o homem.

No final do programa, o bispo Carotti deu uma declaração que pareceu uma provocação à postura pública de pastores como Silas Malafaia e Marco Feliciano. “Eu não tenho filho nem filha. Se descobrisse que meu filho era homossexual, a minha fé ensina a respeitar. A Bíblia não ensina a discriminar ninguém”, afirmou no final do programa.

“Alguns pastores são bobões. Bobões! E vocês sabem quem são. Ficam querendo aparecer… Jesus ensinou a respeitar a todos. Jesus ajudava todo mundo. Jesus nunca levantou bandeira contra, Jesus veio nos salvar, nunca julgou ninguém. Jesus nunca levantou a bandeira da homofobia”, assegurou, ignorando os textos do Novo Testamento que falam sobre como se dá o julgamento divino.

“Você que discrimina, deveria abrir a sua mente. Você bater em seu filho, colocar sua filha para fora de casa muda o quê? Sinceramente? A nossa fé ensina a respeitar as pessoas. Essa é minha opinião. Eu ajudaria o meu filho no possível e no impossível… Ele jamais deixaria de ser filho por que diz que é homossexual”, concluiu.

A fala de Carotti reproduz os mesmos termos usados pelo bispo Edir Macedo em um programa de rádio no ano passado.
Share on Google Plus

About Levitas Newss