Image and video hosting by TinyPic

Militares da Força Nacional são atacados a tiros na Maré, Rio


Moradores da região se aglomeraram para acompanhar o resgate aos militares da Força Nacional atacados a tiros na Vila do João, no Conjunto de Favelas da Maré, Zona Norte do Rio
Uma equipe da Força Nacional foi atacada a tiros na tarde desta quarta-feira (10) no Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte do Rio. Um policial foi baleado na cabeça e levado em estado grave para o hospital. A equipe estava a caminho do Centro, entrou por engano na Vila do João, uma comunidade dominada por traficantes, e foi atacada numa localidade conhecida como Boca do Papai.
Segundo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes:
- o capitão capitão Alen Marcos Rodrigues Ferreira, que atua em Cruzeiro do Sul, no Acre, teve ferimentos leves;
- o soldado Rafael Pereira, do Piauí, escapou ileso; e
- o soldado Hélio Andrade, de Roraima, foi ferido gravemente.
(ATUALIZAÇÃO: o G1 chegou a informar que um dos policiais morreu depois de ser atendido. Mas, segundo informou o ministro da Justiça por volta das 19h, o militar sobreviveu e estava sendo operado. A informação da morte foi passada pela Força Nacional para a Polícia Civil, e policiais da divisão de homicídios foram encaminhados ao local.)
Hélio Andrade, 37 anos, está no Rio desde 2015 e foi atingido com um tiro de fuzil na testa e perdeu muita massa encefálica, segundo apurou o G1.
"Nós temos em relação ao soldado Hélio um ferimento grave. Diferentemente do que vem sendo noticiado, e por isso a importãncia, eu resolvi falar antes da nossa reunião no CICC, ele não faleceu. Ele está sendo operado, o neurologista já está há quase duas horas operando, fazendo a transfusão de sangue necessária, e nós acreditamos que ele vai sobreviver a isso", afirmou o ministro.
Moraes afirmou que, segundo a Força Nacional, os militares erraram o caminho, entrando indevidamente na comunidade. Disse também que dois suspeitos do ataque já foram identificados. "Duas pessoas já foram identificadas e nós vamos atuar para prender essas pessoas rapidamente."
 
  •  
Moradores da região se aglomeraram para acompanhar o resgate aos militares da Força Nacional atacados a tiros na Vila do João, no Conjunto de Favelas da Maré, Zona Norte do Rio

O soldado Hélio, de Roraima, foi baleado na cabeça e levado ao Hospital Salgado Filho, onde foi submetido a uma cirurgia de emergência. Já o capitão Alen foi atingido de raspão no rosto.
Em áudio, o terceiro militar envolvido no ataque contou que foi socorrido por um taxista. "Um táxi está me dando um apoio, está me levando para o hospital", contou.
Ainda segundo o militar, homens do Exército foram ao socorro da equipe. "Eu fui atingido, o capitão Alen foi atingido, o motorista foi atingido. Tem um outro combatente também, ele tá atingido, ele ficou fora da viatura. A equipe do Exército está lá perto", diz ele. Ouça abaixo.
A Força Nacional foi designada pelo Ministério da Justiça e Cidadania para cuidar da segurança de todas as instalações de competições da Olimpíada e Paralimpíada do Rio. Ela é formada por policiais militares, civis, bombeiros e peritos.

Todos os agentes da Força Nacional passaram por vários cursos de capacitação e outros treinamentos. Eles são dos 26 estados e também do Distrito Federal. A formação começou há mais de um ano, em Brasília e a maior parte do contingente é formada por PMs.
Soldado Hélio Andrade (Foto: Reprodução/Facebook/Hélio Andradde)Soldado Hélio Andrade é de Roraima e estava no
Rio desde 2015 (Foto: Reprodução/Facebook)
Família do militar a caminho do Rio
O comandante-geral da PM em Roraima, coronel Dagoberto Gonçalves contou ao G1que o soldado Hélio Andrade mora no Rio desde o ano passado.
A corporação comunicou à família dele o ocorrido. Os parentes se prontificaram a seguir para a capital fluminense.

"Já comunicamos a família do militar aqui no estado e alguém deve ir ao Rio de Janeiro para acompanhar o estado de saúde dele", disse Gonçalves, acrescentando que a Polícia Militar de Roraima está acompanhando toda a situação.
PM está no Rio de Janeiro reforçando a segurança durante a Olímpiada  (Foto: Arquivo da família)PM está no Rio de Janeiro reforçando a segurança
durante a Olímpiada (Foto: Arquivo da família)
Mulher de capitão se diz abalada
O capitão Alen Marcos Rodrigues Ferreira é um dos 180 policiais militares do Acre que foram enviados ao Rio de Janeiro para integrar a Força Nacional durante a Olimpíada. Ele é lotado oficialmente em Cruzeiro do Sul.
Embora tenha recebido informações de que, mesmo ferido, Ferreira está bem, a mulher dele, Lucélia Rocha, de 25 anos, disse ao G1que está abalada com o ocorrido.

“A única informação que tenho é que ele está bem. Só sei disso. Ainda não consegui falar com ele”, disse Lucélia.
  •  
Motorista do carro foi atingido na cabeça e socorrido em estado graveMotorista do carro foi atingido na cabeça e socorrido em estado grave
Favela da Maré (Foto: Editoria de arte/G1)Favela da Maré (Foto: Editoria de arte/G1)

Share on Google Plus

About Levitas Newss