Image and video hosting by TinyPic

Evolução das redes sociais provocou o fim do Orkut, diz fundador

Recentemente, a Hello, lançada em 2016 por Orkut Buyukkokten, recebeu uma série de novidades. O criador do Orkut trouxe de volta as comunidades, o que atraiu usuários da velha rede social do Google para a nova plataforma. Com a missão de combater o avanço do Facebook, a Hello reviveu uma série de recursos do Orkut e vem apostando neles como "diferencial". Entretanto, se as funções do Orkut ainda fazem sucesso, por que o Google encerrou o projeto mesmo sob protesto de alguns usuários?

Facebook troca caixa de entrada por Messenger na web; veja o que muda

Na época do desligamento, em 2014, a gigante de buscas justificou o fim da plataforma — que teve mais usuários ativos no Brasil e na Índia — com o sucesso de outros produtos de Internet como YouTube, Blogger e Google+. Ao TechTudo, Buyukkokten, no entanto, apontou, com mais detalhes, motivos que possam ter levado o Google a dizer adeus ao projeto que levava seu nome.

Ex-Google, o desenvolvedor turco viu o tempo passar dentro da empresa — onde iniciou atividades em 2002. Desligou-se da gigante em 2014, doze anos depois, e dedicou-se ao Hello Network. A experiência no setor de social media, porém, trouxe uma visão mais cética sobre o saudoso Orkut.

"Muita coisa aconteceu no setor desde o lançamento do orkut.com. Social Media é um setor em constante evolução. É muito importante inovar sempre e manter-se em contato com as gerações, padrões de uso e temas sensíveis à comunidade. As redes sociais que não evoluem ao longo do tempo correm o risco de ficar desatualizadas ou irrelevantes", explicou.


Se o Orkut e o MSN voltassem, seria só uma nostalgia? Deixei sua opinião no Fórum do TechTudo.


"Vejo a hello.com como o início de um novo capítulo, não o fim de uma história. O panorama das redes sociais mudou tremendamente na última década. Todos nós mudamos de muitas maneiras fundamentais em termos de como nos conectamos, interagimos online e como acessamos as mídias sociais", pontua. "A hello.com é a próxima evolução nas redes sociais e o início de uma nova e maravilhosa jornada [com funções semelhantes mas focada em celulares, por exemplo]", completou.

Além das comunidades que faziam sucesso no Orkut, a Hello reviveu conquistas (selos), o alerta de quem visitou o seu perfil, convites de acesso e jogos sociais. Na comparação com o Facebook, porém, a rede social fica mais distante com funções polêmicas como posts anônimos e recursos liberados somente mediante "coins" — dados os usuários mais constantes da rede social — ou por pagamento, que libera os "coins" de forma imediata. Cópia do Orkut ou não, a Hello ainda precisa crescer muito, corrigir bugs e conquistar usuários — até a última contagem, foram 200 mil downloads desde julho de 2016.


Para isso, a rede social segue focada em celulares, mas deve ganhar uma versão web em breve. "A Hello é 'mobile first experience' [dedicada aos celulares] e está disponível para iOS e Android. Já as comunidades do Orkut foram todas baseadas no navegador de Internet e na web", lembra Buyukkokten.
Share on Google Plus

About NANDO CÉSAR