Image and video hosting by TinyPic

Justiça proíbe que Templo de Salomão seja chamado de “Sinagoga de Satanás”




A Igreja Universal do Reino de Deus obteve mais uma vitória jurídica de grade repercussão. O Tribunal de Justiça de São Paulo proibiu que o Templo de Salomão, símbolo da denominação, seja associado aos termos “Anticristo” e “Sinagoga de Satanás” no Google Maps.

A decisão põe fim a uma controvérsia iniciada dois anos atrás quando, por causa de uma ação dos usuários do serviço, quando os termos já referidos eram digitados, levavam ao endereço físico da igreja – Avenida Celso Garcia, 605, no bairro do Brás, São Paulo.

Na época, o Google explicou que não era uma decisão da empresa, pois o serviço era gerenciado por um sistema colaborativo de um algoritmo proprietário. Mesmo assim, a justiça deu ganho de causa à IURD em dezembro do ano passado, mas o veredito só foi proferido no dia 1º deste mês.



O Google Brasil também precisará desenvolver filtros que evitem a “vinculação presente e futura” desse tipo ao nome, imagem e endereço do templo no Google Maps. Na primeira instância, a igreja tinha pedido os dados cadastrais da pessoa da pessoa que primeiramente fez essa vinculação de termos ao templo religioso. Contudo, foi negado.

A decisão em favor da igreja em segunda instância foi tomada pelos cinco desembargadores da 9ª Câmara de Direito Privado. No seu voto, o desembargador relator Alexandre Lazzarini explicou que o uso desses termos “estabelece uma relação depreciativa” com os fiéis da Igreja por ser “algo que antagoniza, diretamente, com a fé cristã”. Com informações de UOL
Share on Google Plus

About Levitas Newss