Image and video hosting by TinyPic

Coreia do Norte ensina crianças a reverenciarem ditadores como “deuses”

As crianças que vivem no regime norte-coreano são ensinadas diariamente que o cristianismo é mau e que a cruz é um símbolo do diabo, conforme relatou um cristão que hoje vive fora do país.

Usando o pseudônimo de John Choi por questões de segurança, ele falou sobre a vida sob os ideais comunistas da dinastia Kim na Coreia do Norte em um artigo para a missão Portas Abertas (USA) na última segunda-feira.

Choi explicou que as crianças são ensinadas a acreditar que o cristianismo é uma "religião americana malvada" e que os missionários nunca devem ser confiáveis.

"Quando eu cresci na Coreia do Norte, eu também acreditava que o cristianismo era malvado e que a cruz era um símbolo do diabo. Mesmo no jardim de infância, tínhamos que nos curvar diante das fotos dos primeiros líderes da Coreia do Norte, Kim Il-Sung e seu filho, Kim Jong-Il", revelou o desertor. "Hoje, as crianças norte-coreanas também são ensinadas a se curvar diante do atual 'Querido Líder', Kim Jong-Un".

Algumas das propagandas incluem histórias de que Kim Il-Sung foi "capaz de capturar um arco-íris duplo com uma mão por causa de seus 'poderes majestosos".

"Tudo na Coreia do Norte gira em torno da família Kim. As crianças norte-coreanas sofrem lavagem cerebral para honrar o líder de seus dias. Na pré-escola, os professores oram para o ditador atual e seus ancestrais na hora do almoço. Tínhamos que orar, agradecendo aos ditadores pelo nosso 'pão diário'. Agora, percebo que eles roubaram esse espaço que é devido à Oração ao Senhor Jesus", disse Choi.

Ele observou que as crianças são ensinadas a odiar os "imperialistas americanos" e "fantoches sul-coreanos", com a mensagem empurrada por mensagens de propaganda em filmes, musicais, pinturas e desenhos animados.

Os cidadãos também contam histórias caluniosas sobre pastores e missionários que estupraram e atacaram pessoas, criando uma imagem maligna em suas mentes com relação ao cristianismo.

Ainda assim, Choi compartilhou suas esperanças de que com o avanço da tecnologia, as crianças estão encontrando novas maneiras de aprender a verdade sobre o mundo e estão se preparando para resistir às mentiras do regime comunista.

"As crianças norte-coreanas de hoje são capazes de descobrir outras crenças e modos de vida através da informação disseminada de unidades USB contrabandeadas e transmissões de rádio estrangeiras na língua coreana. Mais pais estão chegando à fé e, quando as crianças tiverem idade suficiente, ouvirão sobre a Bíblia e o Evangelho", disse o desertor.

"Estou orando para que Deus abra os olhos, os ouvidos e os corações dos norte-coreanos de todas as idades. Realmente acredito que se os crentes em todo o mundo continuarem orando pelos crentes norte-coreanos, um dia todas as crianças norte-coreanas aprenderão a verdade sobre Deus e o cristianismo. Um dia, elas se voltarão para a cruz", disse Choi ao compartilhar suas esperanças.

Outros desertores, como o Pastor Lee Joo-Chan, que agora moram na China, também falaram sobre como as crianças são criadas sob o regime de Kim.

Lee explicou em janeiro que a razão pela qual não há filhos cristãos na Coréia do Norte é porque os pais cristãos minoritários são forçados a esconder sua fé até mesmo de suas crianças.

Lembrando sua própria experiência, ele disse: "Eu sabia que meus pais eram diferentes. Todos os chamavam de 'pais comunistas ', porque cuidavam dos doentes, dos pobres e dos necessitados. À noite, eles liam de um livro secreto, que eu não podia ler".

Lee acrescentou: "Mas eu os ouvi sussurrar as palavras, e eu sabia que era sua fonte de sabedoria. Também sabia que se eu alguma vez falasse sobre isso com outra pessoa, nossa família seria levada".
Share on Google Plus

About NANDO CÉSAR